Diário de bordo – Viagem para São Carlos

“Oito da manhã a bordo, no meio da viagem, dia 25/07, sexta-feira:

Bem, depois de começar a escrever uma nova letra no avião (exercício que adoro fazer), cá estamos nós nesse turbo hélice indo pra Ribeirão Preto. Uma aeronave da PASSAREDO jogando sem parar. Era de se esperar.

Já começou a confusão no balcão, ao não se poder embarcar com o violão e os baixos, guitarras etc. Foi uma discussão demorada e acabaram cedendo ao violão Martin caríssimo que levei pra tocar na Livraria da Cultura.

Esse embarcou comigo, os baixos não… Porém, como prever uma turbulência no ar, gigantesca, numa casquinha de noz no meio de ventos e nuvens! Muitas nuvens! Muitas jogadas pra cima e pra baixo. Nem estou tendo coragem de olhar a cara do Fernando e Kadu.

Estou sentado duas poltronas a frente parado escrevendo o que pode ser apenas um texto, ou quem sabe um testamento. Tipo: deixo tudo que tenho (que são instrumentos…rs) a meus dois filhos e minha mulher, etc, bla blá blá.

O certo é que a cada jogada de avião erro algumas letras e volto o texto. Não tenho pressa, pois tenho todo tempo do mundo, como dizia o poeta. Estou em modo avião também! Acompanho os balanços digitando no iPhone, rs.

Hoje, tocaremos em São Carlos, num pub muito legal chamado Blackbird. Vamos de Ribeirão para São Carlos de carro, claro, se passarmos pelas nuvens pra descer.

Amanhã tocarei sozinho a tarde (lançando o ‘Motel Maravilha’) num show de voz e violão na Livraria Cultura de Campinas. Vou distribuir 200 CDs e dar autógrafos, além do show de 1 hora.

E a noite tocaremos também em Campinas (com a banda completa!) num casamento. Encontramos nosso amigo Beto Bruno no avião. Ele deve estar num poltrona mais a frente.

Eu troquei da minha 16c original, para o conforto da janela do 14a. Já estou achando que troquei e deu errado, tipo poltrona na Copa do Mundo. Mantenha a que está, rs. Epa! Alguém vai falar… Barulho de auto-falante ligando… O comandante (que deve ser o mesmo que faz o check in, serve o lanche, etc) acaba de avisar que estamos no procedimento de descida e que passamos por uma frente fria! Que gelada!

Uma coisa é certa: caso você esteja lendo isso tudo é porque estou vivo! Havia dois cientistas a bordo… Acho que fabricaram nuvens pesadas e jogaram na frente do nosso avião, só pode ser isso!!! E caso esteja vivo, nunca mais voarei de PASSAREDO que bem poderia ser chamada de PASSAMEDO ou ainda melhor, de PASSARALHO DO CARINHO!”

– Rodrigo Santos

Depois do sufoco da ida para Ribeirão, Rodrigo & Os Lenhadores fizeram um show sensacional no pub Blackbird, em São Carlos-SP.

Durante a tarde saiu matéria na TV Globo local! Veja aqui.

Em seguida, Rodrigo partiu para Campinas, onde fez pocket show na Livraria Cultura, seguido de um show fechado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *