Efeito Borboleta: confira as letras de algumas faixas!

O novo CD de inéditas de Rodrigo Santos “Efeito Borboleta” está quase saindo do forno! Este é o primeiro álbum inteiramente composto e gravado pela dupla Rodrigo e Fernando Magalhães. O lançamento será pela gravadora Coqueiro Verde.

Rodrigo já liberou a letra de algumas canções! Confira: 

Efeito Borboleta
A cada sopro de vida de uma criança
Jornais noticiam novas guerras mundiais
A cada novo vírus, novas mudanças
Novos aviões sem motivo sobem e caem
Nos vendem pelas redes, falta de esperança
Em quem confiar nossas vidas sociais
Moedas novas repetindo a mesma dança
Transplantes feitos em filas de hospitais
 
Políticos brigam por poder e cobiça
No ar sentimos o mesmo cheiro de carniça
Transformações no estado e na polícia
Repetem o mesmo discurso extremista
 
Camada de ozônio desprotegendo os cidadãos
Esquentando geleiras, esfriando corações
Degelando o que há de pior nas intenções e relações
Aquecendo as nossas preocupações
 
Cabeças são decapitadas no oriente
As borboletas batem asas no Japão
Venda de armas aumenta no ocidente
E as borboletas batem asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
 
Voando nervosas para o outro lado do planeta
Mudando o rumo das histórias, dos cometas
Enquanto muros quebram nas lamentações
Não enxergamos saídas nos telescópios e lunetas
 
Lideranças brigam por controle mundial
O novo papa prepara missa celestial
Novos tempos não suportando os novos templos
O sopro de uma nova proposta cardeal
 
Lixeiros trabalhando pra tirar o excremento
Que se transformará em novo caos
Pais e mães saem pro trabalho e deixam seus filhos na escola
Pensamentos vagos nas paradas dos sinais
 
Secretárias, engenheiros, gente como a gente
As borboletas batem asas no Japão
Pedreiros, construtoras, indústrias do improvável
E as borboletas batem asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
 
Trabalhadores acordando às 4 da manhã
Em todos os continentes do mundo
Um novo vírus se espalha pelas africanas redes
Novas moedas inventadas não resolvem a fome e a sede
 
Cheques, precatórios, comoditties, concordatas
Efeitos colaterais da globalização
Imprensas noticiam o que não sabemos se é verdade
Muita guerra e confusão pelas cidades
 
Gerações são trocadas de 20 em 20 anos
Cometendo os mesmos erros e enganos
Partidos aparecem como salvação da lavoura
E as borboletas influenciam em seus maquiavélicos planos
 
Jovens duvidando da sabedoria da velhice e suas andanças
Velhos duvidando da força da juventude e suas mudanças
 
Jovens duvidando da sabedoria da velhice e suas andanças
Velhos duvidando da força da juventude e suas mudanças
 
Ao mesmo tempo acendem velas numa tribo
Brigam por terras sempre prometidas
E a cada decisão tomada em qualquer lugar do mundo
Torna esse tipo de buraco mais fundo
 
Prédios implodindo, terras invadidas
Pessoas boas morrem junto as más
Kombis metralhadas no Brasil ou no Iraque
Padres e padrinhos brigando pelo não uso de batina e fraques
 
Ditaduras são quebradas mas retornam de outro jeito
Muros começam a se formar em várias direções
E o que se grita lá de cima do norte
Na verdade contaremos com as asas da sorte
 
Das borboletas dos 4 cantos do hemisfério
Tornando o entrelace um mistério
Dos campos de centeio, aos campos de petróleo
Partem as negociatas mais perversas e sérias
 
Decisões tomadas por um louco
Afetará a condição da bolsa
E enquanto explode mais uma bolsa d’água
Explodirá a densidade demográfica
 
E um espirro é dado no oriente
Placas tectônicas se desprendem
Um mar de incertezas invade o ocidente
E as borboletas batem as asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
Asas no Japão
Asas no Japão
E as borboletas batem asas no Japão
Asas no Japão
Asas no Japão
 
————————————————————————————-
 
Juntos de Novo
 
Preciso ler mais
Pra te cochichar
Novas palavras
No seu ouvido
 
Preciso ver mais
Filmes a noite
Pra te observar
Com outros olhos
 
Preciso achar
outra maneira
De estar do seu lado
A noite inteira
 
Te fotografar
Na luz da manhã
Nos entrelaçando
Desde a madrugada
 
Horas a fio
Choro, sorrio
Muitas histórias
Você no meu ninho
 
Saber que um dia
Não repete o outro
E cabe a gente
Estar juntos de novo
 
Juntos de novo
Na luz da manha
Juntos de novo
 
Na madrugada
Juntos de novo
De dia e de noite
Juntos de novo
 
Preciso ler mais
Pra te cochichar
Novas palavras
No seu ouvido
 
Preciso ver mais
Filmes a noite
Pra te observar
Com outros olhos
 
Horas a fio
Choro, sorrio
Muitas histórias
Você no meu ninho
 
Saber que um dia
Não repete o outro
E cabe a gente
Estar junto de novo
 
Juntos de novo
Na luz da manhã
Juntos de novo
Na madrugada
Juntos de novo
De dia e de noite
Juntos de novo
No inicio e no fim
 
Juntos de novo
Juntos de novo
Juntos de novo
Juntos de novo
Na madrugada
 
Juntos de novo
Juntos de novo
Juntos de novo
No início e no fim
 
Juntos de novo
Juntos de novo
Juntos de novo
Na madrugada
 
Juntos de novo (juntos de novo)
Juntos de novo (juntos de novo)
Juntos de novo (juntos de novo)
No início e no fim
 
Juntos de novo
Juntos de novo
Juntos de novo
Juntos de novo
Na madrugada
 
————————————————————————————-
 
12 Anos de Espera
 
Eram dias nublados
Corre vento, colheitas de papel
Oito horas sagradas
Pra fazer o dia trabalhar
 
E as estrelas se apagam
Nessa carta que eu te escrevi
E queimei
E as tristezas se acalmam
Com a resposta que eu nunca recebi
E chorei
 
Sete dias sem trégua
Água turva pra lavar o céu
Sol e chuva se esfregam
Se paga o troco com mel
 
E as estrelas se apagam
Nessa carta que eu te escrevi
E queimei
E as tristezas se acalmam
Com a resposta que eu nunca recebi
E chorei
 
12 anos de espera
Sem saber porque nasci
Escravo de uma era
Mas no final venci
12 anos de espera
Sem saber porque nasci
Escravo de uma era
Mas no final venci
 
De doer na alma
De perder a calma
De crescer mais rápido
Do que o tempo permitir
 
E as estrelas se apagam
Nessa carta que eu te escrevi
E queimei
E as tristezas se acalmam
Com a resposta que eu nunca recebi
E chorei
 
12 anos de espera
Sem saber porque nasci
Escravo de uma era
Mas no final venci
12 anos de espera
Sem saber porque nasci
Escravo de uma era
Mas no final venci
 
————————————————————————————-
 
Sem Deixar Pegadas
 
Linda como sempre
Dançando nas estrelas
Escutando o som dos pássaros
 
Livre como sempre
Voa alto e leve
Com suas roupas coloridas
 
Você me ensina
A ser mais
Me leva junto em seus sonhos
Pra qualquer lado
Doce mistério
Só não me deixe sério
Só não me deixe sério
 
Você é tudo pra mim
Caminha pelas nuvens
Sem deixar pegadas
Sem deixar pegadas
 
Mas olha pra trás
Sorri de canto de boca
Sabe que eu estou ali
 
Te admirando
Pertinho , tímido
Vendo você dançar
 
Você é tudo pra mim
Caminha pelas nuvens
Sem deixar pegadas
Sem deixar pegadas
 
Sou seus olhos
Suas lágrimas de emoção
Fica perto e me diz
Como faz a vida ficar tão simples ?
 
Você é tudo pra mim
Caminha pelas nuvens
Sem deixar pegadas
Sem deixar pegadas
 
Você é tudo
Você é tudo
Sem deixar pegadas
Sem deixar pegadas
 
Você é tudo
Você é tudo
Você é tudo pra mim
Você é tudo
Você é tudo
Tudo….
 
————————————————————————————-
 
Coragem
 
Coragem pra se derreter na chuva
Pra se amar um pouco mais
Coragem pra buscar a si mesmo
Olhar nos olhos dos outros
E perceber a paz
 
Coragem pra não negar os desejos
E peito pra também saber dizer não
Pra vagar na rua com seus vampiros
E depois dar um mergulho
No mar do sertão
 
Coragem pra ter covardia
Encarar Deus e o Diabo
Coragem pra olhar o dia
E destrancar o cadeado
Do sol, do sol
 
Ter fúria pra correr pro abraço
Ternura pra sair no braço
Três bois com apenas um laço
Fazer tudo do jeito que eu quero
E faço
 
Coragem pra gargalhar da vida
Pra viajar no erro
Pra acertar o alvo e a ferida
Sem ter medo de ter medo
 
Coragem pra ter covardia
Encarar Deus e o Diabo
Coragem pra olhar o dia
E destrancar o cadeado
Do sol, do sol, do sol, do sol
 
Na vida pare e imagine
A linha divisória do gramado
A trilha que deixará tudo gravado
Na memória
 
Coragem pra sair do casulo
E cair na estrada
Coragem pra se achar menor
E saber quando dar a guinada
 
Ter fúria pra correr pro abraço
Ternura pra sair no braço
Três bois com apenas um laço
Fazer tudo do jeito que eu quero
E faço
 
Coragem pra ter covardia
Encarar Deus e o Diabo
Coragem pra olhar o dia
E destrancar o cadeado
Do sol, do sol
 
Coragem pra ter covardia
Encarar Deus e o Diabo
Coragem pra olhar o dia
E destrancar o cadeado
Do sol, do sol, do sol, do sol
 
————————————————————————————-
A Magnitude da Nossa Insignificância
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser , a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser , a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Olhando aqui de cima a Terra é um ponto mínimo do universo
Um absurdo insignificante
De uma grandeza infinita
 
Mas é apenas um mísero pontinho
E descendo mais e mais
Vemos cada micro núcleo familiar
Cada país, cada cidade
Cada casa , cada pessoa ,
Somos nós, somos nós
Todos iguais
Todos diferentes
Somos nós
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser, a não ser
A magnitude da nossa insignificância ?
 
Berço de guerras mundiais
Reis , imperadores, torturadores, artistas , médicos , cientistas, astronautas , exploradores, advogados, políticos , prostitutos , esportistas , engenheiros, caçadores, mergulhadores, caminhoneiros, astrônomos, manicures, traficantes , porteiros, encanadores , pedreiros , sacerdotes e muito mais e muito mais, somos nós
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser, a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Lutando pela sobrevivência num planeta disputado
Onde o coração de um rei ou rainha é igual ao seu, e ao meu, lado a lado
O pulmão também, o rim, o fígado , etc e tal
Estamos interligados, completamente interligados
Somos nós, somos nós
 
Somos organismos desorganizados , misteriosos o suficiente para conviver numa harmonia da desigualdade , da simplicidade ou da crueldade , da falta de humildade , da dissociedade , da civilização , da civilização, da civilização
 
Somos nós
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser, a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Olhando aqui de cima os abusos
Os mandos e desmandos , os absurdos
Deficientes da soberba e falta de sobriedade , a realidade
A verdade é que isso é tão distante do que é o cosmos , o infinito ,
E a sua verdade
Somos um nada
Um nada extremamente importante
Extremante prepotente e arrogante
Na magnitude da nossa insignificância
 
Insignificância
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser, a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Todos os amores lindos , rompidos, corrompidos, todos desencantos, todos os pais, mães, filhos, netos, avós , tataravós , todos os pecados não cometidos , ou cometidos , todos os julgados , inocentes ou não , todas as religiões , os medos , os povos dominantes e dominados, os dias difíceis , as conquistas, as vitórias e as catástrofes naturais
 
Naturais
 
Pense agora em cada único ser humano que viveu tudo isso intensamente durante milênios, no único lar que temos, que é a Terra .
 
É o que temos, é o que somos
E não conhecemos outras vidas
Apenas a nós mesmos num longo universo
 
Então somos nós, somos nós
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser, a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Pense um pouco
Quem somos nós a não ser, a não ser
A magnitude da nossa insignificância
 
Pense um pouco
Quem somos nós
A magnitude …insignificância
 
Pense um pouco
Quem somos nós , quem somos nós
Quem somos nós
 
Pense um pouco
Magnitude, insignificância
Pretensa insignificância
 
Quem somos nós?
Quem somos nós?
Insignificância
Somos nós

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *